Sexta-feira, 30 de Junho de 2006

uma aranha

ainda agora estava aqui no pc (a falar com um gajo extra-bom no MSN) quando uma aranha decidiu passear na minha parede. Em vez de mandar um berro estridente e esperar que um macho salvador me viesse auxiliar, peguei numa folha de papel e esmaguei a criatura. (Não me venham com merdas de defesa dos animais, as aranhas têm direito de existir mas não dentro da minha casa, ok?)
Queria só deixar aqui uma análise: é patético as mulheres entrarem em pânico por causa de criaturas tão minúsculas que podem ser esmagadas com um sapato. Ainda mais patético é ter que exisitr um homem presente para nos livrar do dito animal... quer dizer, ainda se fosse um javali ou um elefante que entrasse pela casa adentro (por improvável que seja), percebia-se o medo. Mas porquê gritar? Qual é a utilidade disso? Se não me engano, o sentido auditivo é o menos desenvolvido na classe dos animais que costumam aparecer de surpresa nas nossas habitações.
Agora, se há coisa que deteste, é o ar presunçoso que um gajo assume quando ouve este tipo de berros (sim, eles conseguem identificar os berros). É qualquer coisa do tipo: "Então babe, precisas que te vá salvar?" Arghhhhhhhhhh...
publicado por Sem Asas às 23:17
link do post | parler avec moi | favorito

ultimas aventuras

Quero o meu bronzeado de ...

Algumas verdades sobre a ...

Pessoal, voltei!

Fim-de-semana pelo Norte,...

uma aranha

Ausências...

Vegetarianismo puro

tenho dito

ENSAIO SOBRE O MACHO HUMA...

ENSAIO SOBRE O MACHO HUMA...

cenas velhas... mas originais

Setembro 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

blogs SAPO

subscrever feeds